O bruxismo é uma atividade muscular involuntária caracterizada por eventos de apertar, ranger ou bater os dentes. Sendo sua constatação relativamente de fácil identificação e suas manifestações clinicas deletérias para todo o segmento cefálico tornou esta entidade bastante conhecida pelos profissionais de saúde e pela sociedade em geral. Expressa clinicamente desde a destruição dental, a dores orofaciais, a cefaléias e a ruídos que podem incomodar o parceiro. A parte cinzenta desde assunto está basicamente no diagnóstico etiológico. Atualmente referido a causas multifatoriais.Ou seja, causado por componentes psicológicos, odontológicos, psiquiátricos ou neurológicos. Aqui será abordado sob a perspectiva originada da disfunção respiratória primária.
Recentemente, os trabalhos de Gilles Lavigne, relacionaram o bruxismo noturno com a respiração. Como o bruxismo ainda tem sua fisiopatologia desconhecida, pesquisadores de vários países têm-se preocupado em estudar esta entidade empregando o exame de polissonografia para monitoramento dos parâmetros fisiológicos dos bruxômanos, ao invés de abordar o problema exclusivamente pelo aspecto oclusal dentário.
A partir daí, algumas pesquisas bem desenhadas associaram o bruxismo ser secundário ao distúrbio respiratório. Usando a polissonográfia durante noite inteira, alguns pesquisadores demonstraram que a atividade de bruxismo é muito mais freqüente em roncadores. Episódios de bruxismo foram mais prevalentes em pacientes com síndrome da apnéia e hipopnéia do sono. Ou seja, há uma correlação positiva entre o índice de bruxismo do sono e índice de apnéia, hipopnéia e síndrome da resistência das vias aéreas. Outro intrigante víeis de investigação é a constatação da redução significativa do bruxismo em pacientes apnéicos tratados com aparelhos de pressão aérea positiva (cpap) e placas de avanço mandibular.
Uma distinção deve ser feita quando o bruxismo acontece com o indivíduo acordado, neste caso sua etiologia é atribuída a um hábito adquirido.
Alguns artigos sugerem que o bruxismo do sono esteja associado com despertares (acordares =arousal) curtos com duração de 3 a 15 segundos, conhecidos por micro despertares. Que significa uma perturbação na fisiologia natural reparadora do sono provocado por rápidas modulações eletroencefalográficas, através de impulsos adrenérgicos, principalmente durante o estágio mais profundo do sono. Atualmente, sugerem que o bruxismo seja parte de uma resposta deste micro despertar. O qual entre várias outras razões, como foi dito, pode também ser secundário a resistência aérea superior.
Resumidamente, pensando na resposta protetora fisiológica, há possível benefício da reação de tonificação muscular das vias aéreas superiores provocado pelo bruxismo para desobstrução e patência da faringe na tentativa de liberar a passagem para a demanda de ar solicitada pelo organismo durante o sono.Contrariamente a fisiopatologia da apnéia que é de causar o colapso da faringe impedindo a ventilação pulmonar.
Vale lembrar que a porção anterior das cavidades nasais, da narina à válvula nasal, é reconhecidamente a região anatômica de maior resistência ao fluxo aéreo. Sendo este fenômeno responsável por levar a formar um vácuo colapsiador na faringe, caracterizando um fator agravante e perpetuador da apnéia do sono.
Fica claro, para muitos pesquisadores, a necessidade de rever o contexto que tratou o bruxismo categoricamente como entidade apenas patológica e não como uma provável reação fisiológica normal, autodefensivos, em defesa da vida. E o bom senso clínico constrange o médico a avaliar e tratar o paciente portador de bruxismo do sono associando ao tratamento dos distúrbios respiratórios do sono.

(links para a leitura de aprofundamento)

http://journal.publications.chestnet.org/article.aspx?articleid=1086026

http://www.cdeworld.com/courses/4469

WhatsApp Dúvidas? Chame no WhatsApp